Total de acessos

Teste

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Folha: Estouro da bolha faz fundos imobiliários acumularem prejuízos


Em um cenário de bolha imobiliária e de juros em alta, os fundos imobiliários perdem força e acumulam perdas de 12,6% nos oito primeiros meses deste ano.

"Quando a Selic sobe, alguns ativos de renda fixa, como títulos públicos, pagam juros maiores, e, com isso, muitos investidores passam a achar esses papéis mais atrativos", afirma Moisés Jardim, diretor da CHB, empresa especializada em hipotecas e crédito imobiliário.

A Selic, taxa básica de juros do país, chegou a 9% ao ano no final de agosto, após quatro altas consecutivas.

A desaceleração do país é outro fator que afeta o preço dos fundos, já que muitos têm em sua carteira empreendimentos imobiliários que dependem da atividade econômica, como shoppings e torres corporativas.

"Como a economia vem dando sinais de que não terá o crescimento esperado, os empreendimentos estão tendo que rever as expectativas de rentabilidade", diz Jardim.

Segundo levantamento do portal de finanças estruturadas TLON, apenas 6 dos 77 fundos que tiveram negociações na BM&FBovespa nos meses de dezembro de 2012 e agosto deste ano tiveram valorização em suas cotas.

Ao se considerar os 15 produtos que tiveram cotas negociadas em todos os pregões deste ano, apenas um apresentou alta, e de apenas 1%.

"As distorções foram corrigidas pelo mercado, após dois anos de grande euforia e procura pelos investidores", afirma Claudia Martinez, diretora do banco Máxima.

A desvalorização gerou uma situação que não ocorria desde 2005, ressalta Jardim, diretor da CHB. Desde junho, o valor de mercado dos fundos negociados na Bolsa está abaixo do patrimônio líquido das carteiras.

(Folha de S. Paulo - MERCADO - 16/09/2013 - Pág.B4)

VEJA VÍDEOS SOBRE O ASSUNTO AQUI NO BLOG OU PELO LINK

9 comentários:

  1. Porra, tudo quem que tem bolha e que ela já esteja desinflando, mas mudar o texto da reportagem da Folha já é SACANAGEM.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Interessante ver como a turma do mercado imobiliário, que fez muita gente se endividar sob o falso discurso de que os imóveis valorizariam 30% ao ano eternamente, que depois afirmou que os imóveis "jamais" cairiam de preço e que não existia bolha, agora passa o dia inteiro monitorando as informações sobre o tema, tentando desmentir e desqualificar as informações. Também tive (como sempre tenho) o cuidado de verificar a fonte da informação e, para mim, o fator BOLHA IMOBILIÁRIA está muito claro na matéria e, por uma questão "editorial", somente o termo não foi usado. Para isso posso citar dois trechos da matéria:

      "Como a economia vem dando sinais de que não terá o crescimento esperado, os empreendimentos estão tendo que rever as expectativas de rentabilidade", diz Jardim.

      "As distorções foram corrigidas pelo mercado, após dois anos de grande euforia e procura pelos investidores", afirma Claudia Martinez, diretora do banco Máxima.

      Assim, "rever expectativas de rentabilidade" e "corrigir distorções após dois anos de grande euforia" SIGNIFICAM QUE OS PREÇOS HAVIAM CRESCIDO ARTIFICIALMENTE, SEM PARÂMETRO DE SUSTENTAÇÃO...O QUE PARA BOM ENTENDEDOR SIGNIFICA: BOLHA!
      Nem o "garoto Cyrela", Ricardo Amorim (aquele mesmo que afirmou que os imóveis valorizariam 30% ao eternamente, e que a Bovespa chegaria a 200 mil pontos), que recebe polpudos cachês das construtoras para falar o que elas querem, tem mais coragem de desmentir o óbvio.
      Melhor sorte da próxima vez.

      Excluir
    2. Nick Serpentarius do BolhaImobiliária.

      Caro amigo, creio que o ideal seria manter o título original de qq reportagem e, sendo o caso de interpretação, como vc fez na da Folha, acrescentar a sua interpretação.

      Vou postar aqui o que postei no Bolha, não me leve a mal ok? Pelo contrário, queremos o bem do seu site/blog:

      "O site que fez a interpretação, que a meu ver não caberia é este: “http://observadordomercado.blogspot.com.br/2013/09/folha-estouro-da-bolha-faz-fundos.html”

      Como eu disse, é um site inteligente mas que, na minha visão, não poderia ter interpretado o título da matéria, mesmo que a intenção fosse de a Folha de São Paulo querer dizer que é Bolha. Como a palavra é muito forte e significativa, não cabe interpretar, mas somente reproduzir a matéria com o título no original.

      Uma coisa que ficaria melhor é ele interpretar e colocar o título original, ressaltando a interpretação!!!"

      Excluir
    3. Serpentarius:

      Eu discordei levando em consideração que, em função desse pensamento de que o termo bolha é "muito forte", chegamos onde chegamos: NUMA BOLHA, DE FATO!

      Uma das coias que me chamaram a atenção nesse blog (que ao contrário do que você disse, não é meu) é que ele não apenas compila a matéria (ctrl C + ctrl V), mas também analisa e destaca informações que para a grande massa passam despercebidas. Um exemplo são os termos DESACELERAÇÃO, ACOMODAÇÃO, AJUSTE, DESAQUECIMENTO, RETRAÇÃO, dentre outros, que no final não passam (como o próprio blog já cansou de dizer) de eufemismos para substituir o temido termo BOLHA.

      Entendo o seu ponto de vista e o respeito. Porém, nesse caso, não vejo qualquer problema em substituir o título, desde que a fonte de informação seja divulgada para verificação.

      O que posso dizer é que, aqui na minha cidade, Belo Horizonte, o mercado imobiliário está completamente travado, com um número absurdo de imóveis residenciais e comerciais com placas de VENDE-SE E ALUGA-SE. Há sim uma bolha, e acho que para o bem do mercado (que apesar dos abusos, é um grande gerador de empregos e oportunidades) o problema deve ser encarado de frente, sem subterfúgios.

      Até a próxima. Filipe Guerra

      Excluir
  2. Respostas
    1. Idem aqui :)
      A bolha vai estourar mas os prédios não vão cair hehehe

      Excluir
    2. Compra mais e mais, vai valorizar 30% a.a.

      O Motumbo agradece

      Excluir
    3. Acho que o pessoal aqui quis dizer é que eles vão poder ser donos de mais partes do prédio gastando menos. Em geral quem compra FII não liga para o valor da cota e sim para os dividendos pagos, portanto enquanto tiver gente alugando o local, a cota pode cair para o valor que for.

      Eu continuo nos FII's também - agora compro mais cotas do que antes com o mesmo dinheiro - só que esse VLOL é meio zica hein :) Prefiro um de prédios prontos e alugados.

      Pobre Paulista

      Excluir
  3. O mercado está virando e os bolheiros estão pirando!!

    ResponderExcluir