Total de acessos

Teste

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Portal G1: Preços dos imóveis em queda e juros em alta. É hora de comprar?

“Se as construtoras, com imóveis novos, não conseguem vender, para imóveis usados, com custos de reforma ao comprador, a situação tende a ficar mais difícil”, diz ele, acrescentando que num momento de baixa demanda a pessoa que quer vender “tem pouco espaço de barganha”, precisando jogar o preço para baixo

Com o fim da disparada dos preços dos imóveis e o mercado desaquecendo, muitos consumidores se questionam se esta seria uma oportunidade de bom negócio ou mais um momento de cautela. É hora de comprar ou de economizar?

Os preços estão mesmo caindo: segundo o índice FipeZap, o valor anunciado, descontada a inflação, teve queda de 4,94% nos 12 meses até julho.

Mas houve também redução do limite de financiamento para imóveis usados pela Caixa Econômica Federal e a elevação das as taxas de juros dos financiamentos imobiliários pelo Banco do Brasil.
Com o cenário desafiador, construtoras passaram a lançar promoções para estimular as vendas, anunciando descontos ou condições especiais de negócio.

Somando todos esses fatores, temos um cenário de oportunidade de negócios a preços mais baixos ou um momento mais difícil para o sonho da casa própria? Veja abaixo as opiniões de especialistas ouvidos pelo G1 para diferentes casos:

Momento perigoso para se endividar
Os especialistas alertam que o momento atual requer muito cuidado em relação a endividamentos de valor alto e prazo longo como um financiamento imobiliário. “Num ambiente de recessão, em que estão acontecendo demissões na indústria, nos serviços, financiar talvez não seja uma boa”, diz o consultor e sócio do Minhas Economias, Paulo Sain. Ele afirma que pode ser perigoso “assumir uma dívida grande e ter o risco de perder o emprego em seguida”. “Endividado e sem emprego fica difícil.”

Alexandre Chaia, professor do MBA Executivo do Insper, tem o mesmo posicionamento. “Hoje não é o momento de fazer dívida a longo prazo devido ao momento da economia. Você não tem certeza se vai ter a capacidade de pagamento futuro”, diz.

Sain aponta que, para assumir um financiamento num momento como o atual, é preciso ter segurança de que não haverá desemprego. “Se você for um funcionário público e conseguir achar uma pechincha, já que os preços tendem a se estabilizar ou até cair, como é um emprego estável pode até ser que consiga um bom financiamento”, ressalva.

Preços em queda e juros em alta
A taxa básica de juros da economia, a Selic, subiu pela sétima vez seguida no final de julho, para 14,25% ao ano. Paulo Sain aponta que o consumidor deve ficar atento aos juros mais altos, que podem aumentar consideravelmente o valor total do investimento. “A Selic chegou a 14,25%. As taxas do financiamento também cresceram. Então na verdade o preço do imóvel pode ter até caído, mas o custo dos juros é maior”, alerta.

Já para Alexandre Chaia, a alta dos juros não é o principal problema para quem quer comprar um imóvel. “Os juros em si eu nem acho que é o grande problema, e sim a expectativa da economia. A pessoa que está pensando em comprar um imóvel está insegura com o futuro do país, se terá emprego ou vai enfrentar uma queda de renda”, diz.

Para Chaia, este não é o momento mais indicado para comprar. “Para investir não é um bom momento. Os preços dos imóveis não vão subir por um bom tempo, porque nos próximos dois anos eu não vejo cenário positivo para volta de emprego e a volta de confiança do consumidor”, diz o especialista.

Comprar para alugar?
Sain aponta que “o aluguel é uma boa forma de investimento”, mas o momento atual requer senso de oportunidade para isso. “Só se a pessoa achar alguma pechincha de um imóvel com preço em conta.” O especialista lembra que, para fazer esse tipo de investimento, “a pessoa deve ter outros recursos em ativos líquidos.” “Tem que ser aquela pessoa que tem dinheiro em CDB, poupança e outros ativos e que, se precisar de algum dinheiro de emergência, não vai precisar vender o imóvel correndo.”

Já Chaia não considera esse investimento apropriado para o atual momento econômico. “O preço dos aluguéis está bastante depreciado com comparação com taxas de juros. Os alugueis estão muito abaixo do valor da metragem do imóvel. Os aluguéis em si não estão baratos, mas com o custo de aquisição de um imóvel, outro tipo de investimento pode ser mais vantajoso”, diz o especialista.

“O preço dos imóveis subiu muito, e o do aluguel tem relação com a capacidade de pagamento das pessoas. Não houve um ganho proporcional em termos de aluguel – cerca de 0,5%, enquanto num título do governo se consegue 1,1%, ainda sem correr o risco de inadimplência de uma pessoa”, compara Chaia.

Momento não é de vender
Para os especialistas, o melhor é esperar. “Não tem muito o que fazer. Quanto mais pressa tiver para vender o imóvel, menos preço vai obter. Mas se você não está no desespero, com o imóvel em boas condições, bem localizado, ainda vai conseguir um preço variável. O que não vai conseguir é aquela expectativa de crescimento que tinha antes”, diz Sain. “Se tiver um comprador com preço justo, faça o negócio agora. O que não se pode ter é a expectativa de conseguir um preço alto num momento desses.”

Chaia diz que “não é o momento de vender”. “Se as construtoras, com imóveis novos, não conseguem vender, para imóveis usados, com custos de reforma ao comprador, a situação tende a ficar mais difícil”, diz ele, acrescentando que num momento de baixa demanda a pessoa que quer vender “tem pouco espaço de barganha”, precisando jogar o preço para baixo.

Melhor alugar do que comprar
“Casais jovem que pensam em comprar imóvel talvez devessem reavaliar e simplesmente alugar”, opina Sain. “Como o momento é difícil, é uma opção em vez de financiar. Isso porque, se você perder o emprego ou tiver algum problema, é mais fácil se desfazer do imóvel alugado do que o financiado. Para vender um imóvel precisa pagar a comissão do corretor que é 6%, mais taxas, impostos. Para quem está começando a vida é um investimento que talvez não valha a pena”, avalia. “Mesmo que você pague o aluguel e pense que vai ‘jogar o dinheiro fora’, num ambiente como o atual é muito mais seguro porque te dá a liberdade de fazer escolhas.”

(Portal G1 - Economia - Seu Dinheiro - Notícia - 06/08/2015)

VEJA VÍDEOS SOBRE O ASSUNTO AQUI NO BLOG OU PELO LINK

37 comentários:

  1. Mais uma matéria paga (em forma de notícia) para tentar fazer os desavisados/desinformados realizarem a aquisição de um ativo que está com preço em queda.
    A hora é a de esperar, com o dinheiro na aplicação financeira (juros altos = boa remuneração do capital) enquanto observa como a baixa demanda forcçará os vendedores a anunciarem seus imóveis a preços reais, mais baixos, (uma vez que o metro quadrado aqui, no Rio de Janeiro, está maior do que em Genebra na Suíça ou Paris).
    Você que é corretor, deve aconselhar seus clientes a abaixar os preços, e convencer a si mesmo a aceitar uma remuneração maior, ou contribuirá para uma maior estagnação nos seus próprios negócios.
    Essa tática de manter as aparências é um tiro no próprio pé.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ou eu não entendi a matéria, ou você se precipitou no comentário, pois, ao meu ver, ela diz exatamente para NÃO COMPRAR AGORA E, SE FOR COMPRAR, TER MUITA CAUTELA E BARGANHAR MUITO, POIS OS PREÇOS DEVEM CONTINUAR EM QUEDA. Particularmente, gostei muito da matéria. Bem esclarecedora.

      Excluir
    2. Você não entendeu a matéria. Ela tenta dar um estímulo à compra, invés de mostrar a realidade dos preços exorbitantes e do suicídio de contrair empréstimo com juros altos e cenário degradado.
      É outra matéria do tipo "a hora de comprar é agora", uma tentativa de enganar os desinformados.

      Excluir
    3. Era. O dólar e o euro já estão nas alturas. Os imóveis não estão no preço do exterior mais! Acordem classe C!

      Excluir
  2. E HORA DE ESPERAR, POIS IRAO DESABAR O PREÇOS "BOLHUDOS" AQUI DO MANDIOCAL TUPINIQUIM.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "...sonhar não custa nada..."

      Excluir
  3. NAO é hora de comprar.
    Construtoras endividadas até as calças!!!!
    NAO VAO VENDER E TERAO QUE BAIXAR PRA NAO FALIR!!!!
    NAO compre de particular!!!!
    Economize e tenha paciencia. Brasil esta quebrado e nao se recupera em menos de 15 ANOS.
    Voltaremos ao tempo que se trocava lote por carro.
    Voces VERAO!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E você estará passando fome, 12:43! Já tirou seu dinheiro do banco para cobrir as despesas?

      Excluir
  4. Nao ė hora de comprar nāo , vamos sabotar esses bandos de mercenarios,diga nāo aos preços altos, e chega de ganhar dinheiro facil seus malditos miseraveis.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Outro iludido! Aproveita agora, porque sua fome vem aí!!

      Excluir
  5. ESCAMBO A VISTA,TROCA-SE CARRO POR CASA ,CASA POR TERRENO,.....SALVE-SE QUEM PUDER.....SE PUDER NE....A COISA VAI PIORAR E MUITO. DESGOVERNO NAO TEM PLANO ALGUM DE SALVAR A ALDEIA......

    ResponderExcluir
  6. Estou tentando comprar um imóvel de três dormitórios há três anos. Em São Paulo, os preços anunciados ainda não refletem totalmente a queda. Vou continuar poupando e aguardar um melhor momento para não cair em um financiamento muito longo. Acredito que a tendência de queda deve continuar. Ouvi esta semana na rádio Estadão, 92.9 um comentarista dizer que sua amiga estava pagando R$ 1.200,00 de aluguel em um apartamento em SP, cujo condomínio custa R$ 900,00. Essa diferença tão pequena entre o valor do aluguel e do condomínio nos leva a deduzir que o preço do aluguel também está caindo. Penso que o momento para quem quer comprar ou alugar está ficando cada vez mais favorável.

    ResponderExcluir
  7. Nossa, que gente mais pessimista! Querendo fazer boicote para ver se consegue comprar um imóvel.
    Fiquem esperando abaixar ainda mais com essa inflação galopante! Os preços não vão abaixar o quanto vocês precisam que abaixe para conseguirem comprar um micro apartamento. Desistam! A inflação já está mais que 10%.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ou ė um corvo ou dono de imobiliaria ou dono de imovel,Foi Detectato.

      Excluir
    2. Aguardem até segundo semestre do ano que vem. Quero ver se os preços vão estar iguais.

      Excluir
    3. Essa palhaçada de não poder comprar realmente existe, nas grandes capitais, porém no interior tem vários terrenos, vários imóveis sem que sem que seja necessário vender um rim. Pode ficar com o cubículo de 40m² seu corvo, sua trajetória agora é a mais pessimistas de todas, aprecie com moderação, do contrário enfarta.

      Excluir
    4. Povinho revoltado! Vou dar um imóvel para cada um parar de reclamar!

      Excluir
  8. Boicote...bem lembrado.
    Porque VC acha que o consumidor americano é tão respeitado pelo comércio em todos os níveis?
    Há mais de 40 anos se fazia boicote por lá, contra abusos de preço, falta de qualidade, cartéis monopolistas, pois o sonho americano exigia respeito, afinal quem é o dono de tudo?
    - é o consumidor final, que exige direitos, qualidade, garantia, preços, etc...e brigam por tudo isso com mobilização, pois se um indivíduo tem prejuízo hoje, amanhã todos terão.
    Por aqui boicote é falta de educação, é motim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Errou, o americano médio é um ignorante político. Não é por causa de boicote que o comércio funciona. É, dentre outras, por causa das altas indenizações judiciais e pelo forte intervencionismo do governo através das agências reguladoras (aqui isso é pecado, mas lá pode).

      Excluir
    2. Mais um da crrrase D revoltado!

      Excluir
    3. Gostei 21:14!

      Excluir
  9. 16:40!
    Nós sabemos que a inflação esta nessa faixa, por isso optamos em aplicar os recursos a de 12 a 15% ao ano.
    O tempo/inflação corre a favor de quem está no mercado financeiro, não de quem tem imóvel, como nos anos 80, a história se repete...
    Independe de financiamento agora, ótimos juros pra aplicar, terríveis juros para se emprestar.
    Por isso, preço de tijolo não tem saída a não ser cair, cair, cair...
    Mesmo quem queria comprar, já nem liga mais, só acompanha a evolução do mercado financeiro.
    A bola da vez é outra, imóvel só quando os preços se adequarem ao mercado e as vendas voltarem a médias consistentes, para depois aumentarem de novo.
    Quem aumenta preço de imóvel hj, não se importa se vende ou não, apenas especula.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 17:42
      Continua aplicando enquanto isso eu invisto seu dinheiro em algo bem mais rentável que os seus míseros 15%/ano!

      Excluir
  10. Se houver desvalorizao monstro,ex 40% a qual nao acredito ,imoveis bolhudos financiados com bancos tambem abaixam os valores financiados? O iptu abaixa tambem? itbi abaixa tambem?.....como fica? OU o peao TA FERRADO MESMO?

    ResponderExcluir
  11. Dinheiro no mercado financeiro é atualizado e rentabilizado, em tijolo é depreciado, não acompanha nem a pau, procure por estatísticas de rentabilidade de ativos em grandes períodos...
    Que disputa injusta né...

    ResponderExcluir
  12. Sou Mestre e vivo desde sempre da construção civil meu pai aposentou trabalhando de pedreiro o Brasil e um país forte registre o que eu vou postar aqui vai abaixar os preços 35 por cento depois volta o pega pega o pobre cada. Vez mais pobre o rico mais rico.

    ResponderExcluir
  13. Fiquem com o dinheiro no banco então tentando um dia comprar um cubículo!

    ResponderExcluir
  14. 18:57...
    Numa década, seu tijolo se capitaliza menos que poupança...
    Estude estatística primeiro, antes de pagar de goiaba...
    Comparações de ativos, por ex: de 2002 a 2012... O que rolou????
    Só pra VC saber, em valores brutos, títulos do governo renderam 3 vêzes mais que um tijolo em dez anos, seguidos do ouro, renda fixa e CDB...
    Open your mind...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 18:57, enquanto você enriquece as corretoras de investimento e os bancos eu aplico muito bem meu capital! Não preciso esperar 3 anos para ganhar um pouco mias que a poupança! Acorda! Gente preguiçosa e sem talento como você é que coloca seu dinheiro nas mãos do governo, dos bancos ou das corretoras de valores. Vai ser um eterno pobre!! Acordo de uma vez e abra sua cabeça!

      Excluir
  15. 19:58?
    O quê, por exemplo???????
    Tijolo eu sei que não é...kkkkkkk

    ResponderExcluir
  16. Vendo placas de VENDE-SE em alumínio forjado...
    O imóvel vai virar pó com o tempo, e a placa pode-se aproveitar num outro...

    ResponderExcluir
  17. A Dilma mimou vcs demais! Agora caíram em si e viram que nada podem comprar!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você quem foi mimado pelo governo Dilma. Esqueceu que foi neste governo que houve a supervalorização dos imóveis? Mas já era, passou. Agora não adianta ficar chorando.

      Excluir
    2. Eu estou rindo, 17:17! Estou no meu apê sossegado com vista para o Ibirapuera! E vc?

      Excluir
  18. Vocês estarão passando fome se um dia os imóveis caírem como desejam! Desistem de ter um cubículo na periferia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para o pobre ficar sem um ap ou morar no cubiculo e tranquilo... Quero ver para os riquinhos d merda como vai der perder tudo e ficar por baixo. Se vc conseguiu seu ap otimo. Mas nao deveria ficar tirando onda por isso. O mundo da voltas... E se vc ficasse pobre da noite para o dia, gostaria de alguem falando com vc igual vc ta falando com o cara ai? E sem os pobres vcs ricos nao seriam nada! Aprende isso! Seu tal querido ap de frente para o iberapuera so ta d pe por causa deles! Para de ignorancia pq vc nao e melhor do que ninguem por ter dinheuro nao. Mauricinho

      Excluir