Total de acessos

Teste

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Portal Uol: Preços dos imóveis estão perto do piso, dizem construtoras

A perspectiva é um reflexo sombrio da atividade comercial na cidade [...] As construtoras vêm oferecendo descontos em meio ao excesso de novos apartamentos, alto nível de distratos e crédito mais restrito, disse Eric Alencar, diretor financeiro da Cyrela Brazil Realty SA Empreendimentos e Participações

Os preços dos imóveis na cidade de São Paulo, o maior mercado do Brasil, chegaram ao piso e deverão permanecer perto desse nível até o ano que vem, pelo menos, enquanto houver recessão, segundo duas das maiores empresas imobiliárias da cidade.

A perspectiva é um reflexo sombrio da atividade comercial na cidade, maior polo financeiro do país e terceiro maior colaborador com a produção econômica depois dos Estados de São Paulo e do Rio de Janeiro. A queda da atividade econômica no Brasil pegou o setor imobiliário em cheio, com dois anos consecutivos de contração, desemprego acima de 10% e inflação alta. A confiança do consumidor afundou e os bancos estão evitando oferecer crédito.

Descontos
As construtoras vêm oferecendo descontos em meio ao excesso de novos apartamentos, alto nível de distratos e crédito mais restrito, disse Eric Alencar, diretor financeiro da Cyrela Brazil Realty SA Empreendimentos e Participações.

"Os preços atualmente estão mais baixos que no passado e mais baixos do que estarão no futuro e isso representa uma oportunidade para os clientes", disse Alencar em teleconferência com jornalistas. Um terço das unidades da Cyrela está à venda na cidade de São Paulo, segundo a empresa.

A taxa de crescimento do preço médio do metro quadrado dos imóveis residenciais em São Paulo desacelerou fortemente nos últimos cinco anos, de uma taxa ano a ano de 26% em abril de 2011 para uma taxa de 0,8% no mês passado e valor de R$ 8.623 (US$ 2.463), segundo o índice FipeZap, que acompanha o preço anunciado das unidades à venda. São Paulo é a segunda cidade mais cara do Brasil em termos de propriedades. O Rio de Janeiro é a primeira.

Embora os preços das propriedades possivelmente não caiam mais, eles também não subirão, e com a inflação em cerca de 9% ao ano, os valores dos imóveis ficarão sob pressão até que a economia melhore, no ano que vem, disse Emílio Fugazza, diretor financeiro da Eztec Empreendimentos e Participações. A construtora, que mira clientes de alta renda, concentra mais de 90% de sua carteira na cidade.

"Nós chegamos ao pior momento dos preços no fim do ano passado", disse Fugazza, em entrevista. 

Queda chega a 85%
A Eztec reportou uma queda de 85% nas vendas contratadas no primeiro trimestre e anunciou seu primeiro novo projeto desde junho de 2015, a ser construído com a Cyrela no bairro de Moema, em São Paulo. Ambas as empresas disseram que continuam focadas na venda das unidades já prontas. A Eztec informou que vai esperar por melhores condições de mercado para tirar novos projetos do papel.

A receita líquida caiu 35% no primeiro trimestre, enquanto o lucro líquido teve um declínio de 45%, para R$ 73,6 milhões, disse a empresa na semana passada. No período de dois anos que terminou em janeiro de 2016, a Eztec reduziu sua mão de obra em 40%, para 850 pessoas, disse Fugazza.

A Cyrela reportou uma queda de 28% nas vendas contratadas no trimestre e um declínio de 39% no lucro líquido, para R$ 61 milhões, segundo um comunicado da semana passada. Dos seis novos projetos que a empresa iniciou no primeiro trimestre, quatro ficam no Estado de São Paulo.

(Portal Uol - Notícias - Bloomberg - 17/05/2016)

VEJA VÍDEOS SOBRE O ASSUNTO AQUI NO BLOG OU PELO LINK

63 comentários:

  1. "Os preços atualmente estão mais baixos que no passado e mais baixos do que estarão no futuro e isso representa uma oportunidade para os clientes"
    Olha o migué!!!

    ResponderExcluir
  2. Embora os preços das propriedades possivelmente não caiam mais, eles também não subirão...
    Queda nas vendas de 84%...
    Quanta incoerência.
    Então tá uai!
    Não baixa, não vende e tudo certo!

    ResponderExcluir
  3. Tem estoque pombais ate 2030.2050,2070.....SATUROU....muitos morrerao abraçados ao tijolo.

    ResponderExcluir
  4. Sou corretor a mas de 10 anos e fico aqui dando rissada da cara de voces que pensão que vao paga barato num imovel, acorde pra realidade, esses comentadores daqui sempre vao vive de aluguel e reclamando em site pq nao tem condissões de comprar alguma coisa, preparese ano que vem valorisação dos imovel de novo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. risada com ss. Alem de corvo é burro.

      Excluir
    2. Vc escreve muito mal. A única habilidade quem vc tinha era de enganar as pessoas.

      Excluir
    3. Vai estudar!
      Analfabeto!
      Aproveita o tempo ocioso e vá para a sala de aula
      Já que não vende nada mesmo! kkkk....

      Excluir
    4. Para tirar CRECI não precisa saber português ?

      Excluir
    5. Realmente próximo ano valoriza pelo jeito vc tem a fórmula da recuperação da economia, se está ruim ainda vai ficar pior e há dois anos só sendo 666 para ter comprado nesse período imóvel não valoriza mais e aposto com você corretor experiente diga seu preço imóvel é ladeira abaixo sempre no mercado a lei é a mesma oferta e procura, e econômica em baixa, desemprego nas alturas, nada de crédito comércio totalmente fraco, só sendo imbecil em achar que imóvel não desvaloriza vai lá no Banco e aproveita compra mais uns 10 aproveita vai ficar milionário babaca

      Excluir
    6. Já se encontra imóveis a preços bem mais acessíveis, não sei de que região vc se refere, mas o Brasil é muito grande, e cada região pode ter um mercado diferente.
      Aqui em sergipe, já comprei imóvel com um bom desconto, comparado com o preço que era anunciado em 2014, como o imóvel foi devolvido eu pude pegar com quase 45% de desconto.

      Tem uma tia minha que arrematou um excelente imóvel no leilão, mas ela está tendo um gasto extra com advogado, mas isso já estava contabilizado, e mesmo com tudo isso o desconto passou de 50%.
      Pra quem tem dinheiro vivo e sai para garimpar, consegue achar coisas boas, agora claro, estou falando aqui na minha regiao, não sei como anda os outros locais.

      Excluir
  5. Isto é conversa. Nunca nenhuma empresa vendeu nada abaixo do custo, é só um MIGUÉ para ver se os trouxas voltam a comprar, dando margem de lucro de 100% liquidos....

    ResponderExcluir
  6. Ué não ia valorizar 30% a.a. Eu quero mais é que esses POMBAIS se explodam com os corvos dentro.

    ResponderExcluir
  7. Tudo história pra boi dormir. Sabe o que você faz quando o preço chega no piso? VENDE ABAIXO DO PREÇO DE CUSTO OU ENTRA EM FALÊNCIA. Escolham, construtoras.

    ResponderExcluir
  8. Já que não baixam os preços, que morram agarrados nesses pombais fedidos, bando de pilantras.

    ResponderExcluir
  9. Lamento informar mas esse piso ainda é distante das condições de pagamento para o cidadão comum. Vocês ergueram prédios como se não houvesse amanhã e agora estão com esse mimimi. Encheram os bolsos com dinheiro proveniente de favorecimento ilicito, financiaram campanha politica de quase todos os candidatos e esperavam que o investimento retornaria em forma de endividamento generalizado das familias, mas não contavam com a recessão, agora RECEBAM!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Análise coerente.

      Excluir
    2. Exato. Concordo em número, gênero e grau.

      Excluir
    3. Eh 8 ou 80
      Ou apto MCMV de 1 dorm la na periferia 200k ou 4 dorm 125m2 de 700k+
      O salario minimo eh 880 , quem vai conseguir conprar...renda media da familia brasileira eh 3k
      FAz tempo q espero a queda e nada...

      Excluir
  10. Aperte 13 e explodam esse bananal de vez, né lula e dilma.

    ResponderExcluir
  11. Tem 300% de gordura pra queimar ainda....doaçoes em breve..kkkkk... ou morra abraçado ao "pombal" de 40 m2 a 400 mil....kkkkkk..vai falir tudo aqui no bananal.

    ResponderExcluir
  12. Há 5 anos atrás 90% das unidades eram vendidas para investidores. Criou se uma bolha já que agora estão preferindo a segurança do Tesouro Direto.

    ResponderExcluir
  13. Eu desejo que essas construtoras pilantras que só pensam em dinheiro que fechem as portas e todos esses corvos vão comer capim.

    ResponderExcluir
  14. povo a crise é culpa da propria colsultora, enquanto lula e dilma estava no puder o brasil tava muito bem, dai eses goupistas tomaro o puder e agora o brasil vai fali de vez, bando de buros iguinorantes colocar o teimer no puder, brasileiro tem que sofre mesmo, mais comcerteza em 2018 lulinha vai vim pra salva noso pais desse caus. 13 com vontade em 2018

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc escreve muito mal. Que vergonha, vai ganhar zero em ortografia.

      Excluir
    2. Esse e o fruto da Patria educadora.

      Excluir
  15. Invistam na Na Chon, com certeza Na Chom é o melhor, Na Chon

    ResponderExcluir
  16. Governo nao vai ajudar essas destrutoras nao.........portanto vendam pelo custo..se alguem quiser comprar ne,pois parece que acabaram os muitotarios interessados na aquisiçao dos bolhudos.

    ResponderExcluir
  17. Enquanto isso, o alcaíde Hadade reajusta os nossos IPTUS com base na inflação. Ou seja, os valores dos imóveis caem e o IPTU aumenta. Esse é o jeito petista de governar.

    ResponderExcluir
  18. Sonho lindo que se foi, corvo infeliz morrendo de fome, foi por medo de corvaiar que corvei, adeus corvos

    ResponderExcluir
  19. Papo furado,,quem tem alta renda ja tem casa, Quando o m2 acabado ficar em torno de 1500,00 reais,o que e o justo,,,ai vendera.Esse piso ai tem 300% de gordura pra queimar.Imovel pra morar nao e investimento a quem compra.Investimento e outra coisa. A BOLHA PEGOU TODOS, ESPECULADORES ESTAO DESESPERADOS.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1500/m2 é o custo da obra, sem incluir terreno. Depois tem bdi, imposto, custo financeiro e margem de lucro. Sejamos realistas, construtoras são empresas e o custo da mão de obra subiu muito nos últimos anos. Ao procurar emprego na construção todos estavam felizes...

      Excluir
    2. Conversa fiada. Com o nível péssimo do material que usam? 1500 é muito.
      Na atual conjuntura, com o desemprego do jeito que tá, custo de mão de obra tá em baixa.

      Excluir
  20. O que aconteceu com as corretoras é que tinham compradores especuladores que compravam para revender, assim que eram entregues os aptos
    o preço foi subindo e chegou no ponto que ninguém quis mais e os especuladores devolveram todos os imóveis.

    ResponderExcluir
  21. Preços perto do piso, precisa dar andamento nas obras para chegar no teto! No auge inflarão com vendas que na verdade eram apenas reservas e preços nas alturas, agora segura o rojão pq os compradores estão sem grana e sem crédito, se não baixar os preços em pelo menos 30% vai ficar encalhado muitos aptos por muito tempo, pelo menos até 2018/19 ficará essa maresia.

    ResponderExcluir
  22. Desespero total das construtoras e os corvos tudo cometendo suicídio em massa kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  23. Criem vergonha suas empresas safadas, i piso vai ser quando falirem todas para aprenderem a respeitar os conumidores.

    ResponderExcluir
  24. Desculpe mas comparar índices e preços à a partir de 2011 é realmente dizer que o custo m2 está caindo porém porque não comparamos com o preço m2 de 2008 ?? que era quando as construtoras tinham lucro e o m2 era na média 3000,00?? a métrica ao meu ver está errada.... analisem

    ResponderExcluir
  25. em 2015 havia um estoque de 21bilhoes de reais em imóveis, se 41% deles vendidos em 2014 e 2015 retornarem(am) via distrato, serão 28,7 bilhoes de reais imobilizados nas construtoras (já considerei uma multa de 20% do vendido pra amenizar)..

    isso dá cerca de 7bilhoes a mais para 2016. (nas mãos das grandes construtoras)

    http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,de-cada-100-imoveis-vendidos–41-foram-devolvidos-as-construtoras-em-2015,10000006708

    ResponderExcluir
  26. Welcome to desert of the real!

    ResponderExcluir
  27. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Vejam a reportagem

    “Ele explica que o preço dos imóveis só deve voltar a subir com força em 2018 ou depois, quando o desemprego cair e a renda voltar a subir. “Diferentemente do mercado financeiro, o mercado imobiliário é como um transatlântico. É lento, demora para mudar de rumo”, diz Oliva.

    Antes do impeachment, compradores estão em vantagem

    O especialista em crédito imobiliário Marcelo Prata, fundador do Canal do Crédito, diz que o mercado imobiliário é como um cabo de guerra entre compradores e vendedores, e que a incertezas sobre o impeachment favorecem quem está na ponta da demanda. “Ao oferecer um valor mais baixo, o vendedor tende a aceitar a proposta. Ele não sabe o que vai acontecer depois que o processo de impeachment acabar e tem receio de que o comprador desista”, afirma Prata.”

    “Mesmo se houver impeachment, as taxas de juros para financiar imóveis devem permanecer altas por, no mínimo, alguns meses, segundo a expectativa dos especialistas. Desde o ano passado, as recorrentes elevações nos juros do crédito imobiliário são resultado do aumento dos saques da poupança, principal fonte de recursos dos bancos para o financiamento de construções e compras de imóveis.”

    “O economista lembra que, neste momento de aumento na taxa de desemprego, só quem tem alguma reserva financeira deve entrar no financiamento. Se houver algum risco de demissão, que possa levá-lo a desonrar o pagamento das prestações, é melhor esperar. ”

    http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/noticias/imovel-novo-veja-se-vale-esperar-o-desfecho-do-impeachment

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A falta de uma visão holística do mercado faz com que muitos atirem com balas de festim.
      A renda per capita voltando gradualmente não implica em financiamento de imóvel, a vida é muito mais que isso.
      O que aconteceu no começo da década, não tem a menor probabilidade de acontecer novamente, a consciência das pessoas se alterou objetivamente, o mercado será como sempre foi em sua tradicional característica peculiar: ausência de liquidez com lateralidade nos preços em longos períodos.

      Excluir
  28. A bolha estourou, não adianta é Bolha sim, queda nos preços de 50%

    ResponderExcluir
  29. Esse é bolhista, certeza!!!

    ResponderExcluir
  30. Essa notícia é uma piada.

    ResponderExcluir
  31. Parabéns aos PTRALHAS, minha casa meu inferno kkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  32. Meu pai sabe que eu tenho uma boa quantia aplicada e veio me contar uma história que um amigo dele corretor ofereceu pra ele.. Segundo o corretor, negócio imperdível!!

    Pelo que eu entendi, trata-se de uma cota na construção de um edifício com N apartamentos. Em vez de você comprar o apto na planta, você compra um pedaço dele ( na planta ), e depois que ele for construido e vendido, ganha dividendos… ou seja, tá emprestando dinheiro pra construtora.. o corretor afirmou que tinha um retorno garantido de aprox. 25% em um ano… legal né #SQN….

    1 – Se a construtura precisou dividir um único apartamento em vários cotistas, isso significa que eles não estão conseguindo sequer vender na planta para um possível comprador.. ( O_o )
    2 – Se a construtura quebrar no meio do caminho, “hasta la vista dinero”.
    3 – Quem garante que a construtora vai conseguir vender os aptos depois de prontos ? E se a construtora levar 3 anos para vender o apto da “minha cota” ?
    4 – Por que a construtora não pega dinheiro no banco para financiar a obra? Simples, por que não dá pra enrolar banco.

    Eu sempre penso, se alguém te oferece um “bom negócio”, é por que não é bom. Bons negócios você mesmo descobre

    ResponderExcluir
  33. Essas construtoras são um câncer no Brasil, torcendo para que todas quebrem e peçam falência.

    ResponderExcluir
  34. run, bino! it’s a trap!

    ResponderExcluir
  35. A bolha de consumo efetivamente foi de 2005 a 2010, quando a dívida das famílias com o sistema financeiro, com exceção do crédito imobiliário, DUPLICOU em proporção à sua renda dos últimos 12 meses, exatamente o que também aconteceu, neste mesmo período, para a dívida das famílias em relação ao crédito imobiliário em comparação com a renda dos últimos 12 meses, em ambos os casos, com base nos dados do BACEN.

    Ao mesmo tempo, víamos o PIB de despesas das famílias disparar, crescendo de forma contínua e relevante. Até então o segmento automobilístico crescia como nunca, assim como o segmento imobiliário, o varejo, os serviços, etc., tudo impulsionado pelas bolhas imobiliária e de consumo e ainda contando com um grande volume de projetos da construção civil para atender a bolha de corrupção da Petrobrás.

    De 2010 a 2015, a dívida das famílias com o crédito imobiliário em proporção à sua renda TRIPLICOU e com isso, as famílias já sem fôlego financeiro viram as suas despesas para outros fins sofrerem uma desaceleração brusca, ao mesmo tempo em que a inadimplencia crescia a uma velocidade 2,5 vezes mais rápida do que nos 5 anos anteriores e que a dívida das famílias com outros itens não relacionados ao crédito imobiliário em proporção a sua renda caiam de forma contínua, embora não tão relevante graças aos elevados juros praticados no Brasil.

    A tradução do que consta acima é que a bolha imobiliária foi tão intensa, que junto com juros muito elevados, renda per capta muito baixa, péssima distribuição de renda, etc, fez com que a bolha de consumo não pudesse ter durado mais tempo ou ter sido mais intensa.

    Para quem quiser entender melhor o que consta acima, segue link com infograficos a este respeito:

    http://defendaseudinheiro.com.br/a-bolha-imobiliaria-no-brasil-e-a-economia

    ResponderExcluir
  36. Financiamento imobiliário desaba 54,6% no 1º tri, diz Abecip

    http://economia.terra.com.br/financiamento-imobiliario-desaba-546-no-1-tri-diz-abecip,2300b1da0a5eb607237e6a4adb98bce9m0oe5dmd.html

    ResponderExcluir
  37. é a 4ª ou a 5ª noticia sobre isso...imoveis vao aumentar...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse papo e esse tipo de notícia já não engana mais ninguem.

      Excluir
  38. Fico pensando aqui!
    Será que os comentários que aparecem escrito sem a mínima concordância verbal e ortografia são realmente de corretores. Um diz que está a 10 anos no mercado e escreve rissada... pensão que vão paga.... condissões.... valorisação....
    Qual nível de escolaridade é exigido para ser corretor?
    Qualquer celular tem como corrigir a ortografia antes da publicação.
    Será que esses ditos sábios do mercado não conhecem este recurso?
    São quase todos analfabetos ???
    Será que tem alguém querendo denegar ainda mais a imagem dessa raça ordinária e gananciosa sem escrúpulos. .. Bando de corvos! Vão pagar por tudo que fizeram com as pessoas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Talvez, nao seja fruto da patria educadora, ou, esta passando tanta fome, que nao consegue nem escrever.

      Excluir
  39. Com o tanto de desempregado dizem correrco risco de chegar a 14%, mas acho que ja deve estar chegando na casa dos 25 % ou mais.

    ResponderExcluir
  40. Vc's não perceberam que o cara está zuando o blog!!! Todos os dias!! Sem ibope...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é péssimo, pq dificulta a visualização de informações úteis.

      Excluir
  41. Os preços chegaram no piso...do oitavo andar em um prédio de dez andares.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente! Faltam andares ainda...

      Excluir
  42. Em uma analogia com um sobrado, perto do piso superior, seria o raciocínio lógico e real.

    ResponderExcluir
  43. Este piso ainda tá superfaturado. Rio de Janeiro em breve na chonnnn. Cidade só tem tiroteio pra todo lado e com estes valores de compra e aluguel. Vai pra chonnn

    ResponderExcluir
  44. Isso é sinal que não querem baixar os preços ..já baixou o máximo chegou ao piso kkkkkkkkk

    ResponderExcluir