Total de acessos

Teste

quinta-feira, 6 de abril de 2017

Infomoney: Demanda continua baixa na construção civil

A despeito da melhora dos últimos meses, o empresário da construção continua com a percepção mais negativa sobre a situação atual de sua atividade que os demais setores da economia e em consequência, também com o pior indicador de confiança

Em março, a sondagem da construção da FGV/IBRE indicou que a confiança dos empresários da construção voltou a crescer. Desde abril de 2016, quando o índice de confiança registrou o pior resultado da série histórica, o indicador já subiu quase 8 pontos.

Mas, a despeito da melhora dos últimos meses, o empresário da construção continua com a percepção mais negativa sobre a situação atual de sua atividade que os demais setores da economia e em consequência, também com o pior indicador de confiança.

Todos os indicadores que captam o quadro atual dos negócios corroboram o baixo patamar da atividade setorial. Em março o Nível de Utilização da Capacidade Instalada (NUCI) das empresas da construção alcançou 63%, o que representou novo piso da série histórica. A carteira de contratos também se mantém muito próxima do piso.

Expectativa
Por outro lado, a avaliação de que o pior momento já ficou para trás vem se fortalecendo a cada pesquisa. A sondagem da construção da FGV/IBRE realizada com empresas de todo país mostra uma expectativa crescente de que os próximos meses serão mais favoráveis para o setor. Essa percepção mostra­-se disseminada entre os diversos segmentos da construção e é especialmente forte no segmento de edificações residenciais. Na área de infraestrutura, o destaque tem sido a melhora nos indicadores do segmento de Obra de Artes Especiais, que inclui a construção de pontes, viadutos, túneis, etc.

Com o resultado de março, a diferença entre Expectativas e Situação Corrente voltou a aumentar. Ou seja, a demanda insuficiente é a principal limitação para a melhoria dos negócios da construção, mas os empresários avaliam que essa demanda irá crescer nos próximos meses. Isso explica por que a disposição para demitir ainda é superior a de contratação, mas em março já há muito mais empresários indicando que vão contratar ou manter estável o número de empregados.

A reversão do saldo (contratados menos demitidos) ainda levará algum tempo para ocorrer. A projeção atual é de queda superior a 7% no número de empregados com carteira em 2017, o que irá configurar o terceiro ano consecutivo de queda.

Nos próximos meses é possível que se assista a algum ajuste nas expectativas empresariais, afinal o ritmo de melhora será lento. Provavelmente mais lento do que a maioria deseja, mas o próprio ciclo da construção não permite mudar abruptamente essa dinâmica.

(Infomoney - Mercados - Na Real - Notícia - 29/03/2017)

VEJA VÍDEOS SOBRE O ASSUNTO AQUI NO BLOG OU PELO LINK

23 comentários:

  1. Não temam,Temer tem solução:Com mais um "remendo" que é a liberação do FGTS inativo, tudo estará resolvido até 2035 ...kkkkkk...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O FGTS é para dar um agrado aos bancos, uma vez que a maior parte destina-se ao pagamento de dívidas.

      Excluir
    2. O FGTS já podia ser utilizado na compra de imóveis financiados pela caixa como entrada, espero que as pessoas sejam inteligentes e invistam esse montante em outra coisa para os preços dos imóveis despencarem!

      Excluir
  2. Imóveis já em saturação,automovéis idem...com a tercaeirização, subempregos é a tendência.. e a bola da vez serão serviços.. e nada mais.Ou querem que desenhe?

    ResponderExcluir
  3. Melhora só daqui alguns anos

    ResponderExcluir
  4. Construir para quem?

    ResponderExcluir
  5. Comecem a construir somente após diminuírem os estoques

    ResponderExcluir
  6. Disttrados ainda virão em grande quantidade

    ResponderExcluir
  7. Não há recuperação econômica em curto prazo. Um corvo amigo meu me confessou que setor imobiliário está em baixa e expectativa é de queda abrupta nos preços devido lei da oferta e procura. Brasileiro se fosse bem informado e se soubesse fazer contas de juros compostos, não compraria imóvel tão cedo. Neste momento, é manter dinheiro aplicado e viver de aluguel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. To vivendo assim... e bem hein!!!!..

      Excluir
  8. As imobiliárias, construtores e corretores estão atrás de pessoas "burras", ou melhor,pessoas desinformadas, param passarem as bombas dos imóveis!
    Mas até nisso vão se dar mal, sabem porque??? Povão ta sem dimdim...sem emprego...sem renda...
    Daí basta convencer algum cidadão a invesrir. Mas quem em sã consciência vai entrar nessa loucura de comprar barro e tijolo pra daqui 2 anos valer metade da metade???
    Na cidade vizinha a minha estão fazendo Ap do mcmv por 140 mil...ta tudo travado...imagine os imóveis de 300 mil acima...
    Apertem os cintos...a bolha está apenas começando !!!

    ResponderExcluir
  9. O número de pessoas que investiram no tesouro direto,disparou desde o ano passado, muitos venderam a casa foram morar de aluguel e com o juros a 14,25% ao ano dava para pagar o aluguel, e ainda aumentava o patrimônio, com a inflação alta, confiança do consumidor baixa e taxa de desemprego subindo, os imóveis cairão de 30 a 50% do preço anteriormente ofertado, como o intuito de se adequarem a demanda reprimida, as empresas de todos os seguimentos demitiram para adequar a produção a demanda, segurar os estoques e vender aos poucos é uma estrategia para manter o lucro pois seus custos fixos foram reduzidos com as demissões.
    CUIDADO PESSOAL, temos um quadro de muitas pessoas com dinheiro investido sem imóveis, não está sendo lançado imóveis novos, todo dia tem pessoas comprando imóveis modernos e bem localizados, a confiança do consumidor está aumentando, com o juros no final do ano em 8,75%, inflação de 3,5%, com as reformas do governo finalizadas e com eleições ano que vem, o dinheiro no tesouro não pagará mais que a poupança, haverá retirada em massa para compra de imóveis para moradia, a bolsa de valores representa esse comportamento só que de maneira antecipada, tinha ações em março de 2016 que estava custando R$4,5 hoje está em R$15,00.
    CUIDADO!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você está totalmente equivocado. O quadro que você apresenta não passa de uma tentativa de persuadir os incautos de que imóvel é investimento. Conforme-se o mercado imobiliário entrou em seu ciclo de baixa, ciclo esse que durará dez anos tomando por base o que já ocorreu nos últimos trinta anos.
      Não tente enganar as pessoas, mude de emprego pois como corretor você está perdido.

      Excluir
    2. CORVO DETECTED!!!!! ...Com um monte de imóveiS à venda que deixam voce imóvel, mas bem localizado...kkkkkkkkk....Vai veno.

      Excluir
    3. SE OS IMOVEIS ESTIVEREM A r$1500,00 O METRO QUADRADO

      Excluir
    4. Recorde de desemprego, como a confinça do consumidor pode estar aumentando. Ri demais quando li isso.
      Corrigindo seus dados a previsão no final do ano é de chegar a taxa de juros a 10%. Nem todos os investimento são atrelados à SELIC. Mesmo que chegue a 1%, não altera o quadro, aplicação vc ganha muito ou ganha pouco mais ganha. Imóvel hoje em dia você perde ou perde. Não tem meio termo.

      Excluir
  10. Cuidado com o que se 85% da população da classe média tá sem dinheiro???

    ResponderExcluir
  11. Olá, boa tarde.
    Para afirmar o que você diz seria necessário abrir as estatísticas de investimentos do banco central e do FGC (Fundo Garantidor), pois pode-se supor, não estou dizendo nem que sim nem que não, que apenas houve uma migração de um tipo de investimento de menor rendimento para outro de maior rendimento.
    Você fez essa análise? Quais foram as suas premissas? Pode postar os links e referências para análise? Desses locais que você pesquisou, saberia me dizer quais interesses existem explicitamente, ou não, nas pessoas e entidades que a fizeram?
    Outro ponto seria sobre a intenção de compra e compras realizadas, mas uma vez: como você chegou nessa conclusão? Quais foram as suas premissas? Pode postar os links e referências para analisarmos?
    Você chegou a fazer algum tipo de cálculo comparando as hipóteses de compra x rentabilidade com as premissas que você passou acima de inflação e rendimento do TD? A rentabilidade x aluguel x compra precisa estar a quanto para “valer a pena” a compra imóveis modernos e bem localizados?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele disse que tem que comprar imovél bem localizado, o resto todos que se danem se não houver liquidez...kkkk.
      Lema e assim: TÔ FERRADO MAS BEM LOCALIZADO..NAN,NAN,NAN...NANMMMM....KKKKKKKK...

      Excluir
  12. Kkkkk!!!Expectativa? Também estou na expectativa de ver quem quebra antes! PDG, Viver, MRV... Quem será? Nossa que expectativa!!!

    ResponderExcluir