Total de acessos

Teste

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

IstoÉ Dinheiro: Em 2016, 37,7 mil vendas de imóveis foram canceladas

Sem regulamentação, os distratos têm sido fonte de longas disputas judiciais entre compradores e construtoras. Dados da Abrainc apontam que 37,7 mil imóveis tiveram as vendas canceladas entre janeiro e outubro de 2016, o correspondente a 45% das unidades vendidas no mesmo período. Os dados consideram as operações das 19 maiores incorporadoras do País

A proposta de regulamentação dos distratos no setor imobiliário - o nome que se dá quando há desistência da compra ou venda do imóvel na planta - em discussão no governo deve instituir que a construtora terá direito a ficar com 10% do valor do imóvel, desde que esse porcentual não ultrapasse 90% do valor já pago pelo comprador.

Em um imóvel de R$ 500 mil, por exemplo, a empresa poderia ficar com R$ 50 mil no caso de distrato. Mas, se o valor já pago for de apenas R$ 30 mil, a construtora poderá reter 90%, ou R$ 27 mil.

O jornal O Estado de S. Paulo apurou com fontes que participam das discussões que essa é opção que tem mais consenso entre o governo e o setor da construção. No entanto, a Abrainc (associação que representa as incorporadoras) ainda tenta emplacar uma variável desta regra para imóveis acima de R$ 1 milhão. Neste caso, a parcela com a construtora subiria para o limite de 15% ou 20% do valor do imóvel. O entendimento é que um comprador com maior renda teria mais "discernimento" sobre a compra e poderia ser, então, "punido" com um alíquota maior em caso de desistência.

Sem regulamentação, os distratos têm sido fonte de longas disputas judiciais entre compradores e construtoras. Dados da Abrainc apontam que 37,7 mil imóveis tiveram as vendas canceladas entre janeiro e outubro de 2016, o correspondente a 45% das unidades vendidas no mesmo período. Os dados consideram as operações das 19 maiores incorporadoras do País.

Acordo
Em 2016, foi assinado um acordo no Rio entre representantes do governo federal, do setor imobiliário, dos Procons e da Justiça para deixar mais claro os direitos e deveres de consumidores e empresas e evitar que os casos fossem parar na Justiça.

Nesse acordo, além da modalidade que deve ser adotada agora - de multa de 10% sobre o valor do imóvel, desde que não ultrapasse 90% do valor pago -, também foi dada uma segunda opção: o comprador perde o valor do sinal mais 20% sobre o que foi desembolsado. Agora, porém, o governo federal quer fechar a proposta em apenas uma modalidade para evitar que os distratos continuem motivando várias ações na Justiça.

O acordo do ano passado não tem força de Lei e envolvia outros assuntos. Atualmente, há apenas jurisprudências e súmulas que consolidaram a avaliação de que é abusiva e ilegal a retenção integral ou a devolução ínfima das parcelas pagas pelo comprador pelo imóvel adquirido na planta. Esse ponto foi ratificado em 2013 pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).

"O aumento dos distratos tem prejudicado os investimentos no setor, isso afeta emprego, produção imobiliária e o próprio comprador no final", disse o vice-presidente executivo da Abrainc, Renato Ventura. "Estamos em busca da fórmula que traga o maior equilíbrio."

O fantasma da Encol
Junto com a questão dos distratos, o setor também discute com o governo o chamado patrimônio de afetação, para dar mais garantia aos direitos dos compradores de imóveis na planta em caso de falência do incorporador.

O patrimônio de afetação é um mecanismo que impede a empresa de construção de utilizar recursos captados com a venda de determinados empreendimentos em outros lançamentos, evitando a quebra em efeito dominó da contabilidade das obras. Foi anunciada como salvação para os problemas da insolvência no setor da construção imobiliária e como forma de garantir o consumidor de situação como a que aconteceu com a construtora Encol, que deixou 42 famílias lesadas.

A norma também beneficia os bancos, uma vez que confere mais qualidade ao papel ("recebível imobiliário") vendido às companhias securitizadoras, facilitando a geração de recursos no mercado. No entanto, atualmente o patrimônio de afetação também está sendo questionado na Justiça.

"Nossa proposta vai dar mais segurança jurídica às empresas e maior proteção ao comprador", disse o presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic), José Carlos Martins.

O grupo de trabalho - formado por representantes da Cbic, da Abrainc, da Secretaria Nacional do Consumidor, órgão ligado ao Ministério da Justiça (Senacom); do Ministério do Planejamento e do Ministério Público - se reuniu nesta semana em Brasília e volta a se encontrar novamente na próxima terça, dia 17, quando há expectativa de que um acordo seja fechado.

Se há consenso na proposta, o grupo ainda diverge sobre a forma como ela deve ser encaminhada. A Abrainc gostaria que fosse por meio de uma medida provisória (MP), que já teria força de lei. O governo defende que seja encaminhado ao Congresso um Projeto de Lei com os termos acertados. Já para a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), o melhor caminho seria modificar um projeto já em tramitação com as novas regras.

Um deles é do senador Romero Jucá (PMDB-RR), que propõe uma "pena convencional" sobre o consumidor de 25% sobre o que foi pago até o momento do distrato, além do abatimento da taxa de corretagem de 5% sobre o preço da venda.

(IstoÉ Dinheiro - Notícias - Economia - 14/01/2017)

VEJA VÍDEOS SOBRE O ASSUNTO AQUI NO BLOG OU PELO LINK

60 comentários:

  1. Sair do aluguel, sim ou não? (não ou não)
    O preço dos imoveis caiu nos últimos 2 anos e o mercado está abarrotado de ofertas de novos pra vender (ja da pra ver onde papinho vai dar….)
    – Não consigo ler o resto, ainda bem….

    ResponderExcluir
  2. o pessoal não comprou dos “investidores” flipando e comprou na planta pensando que iriam conseguir vender tbm…. kkkk já tinha alguns prontos… mas o lucro seria menor… 666 housing investors gourmet plus experts.

    ResponderExcluir
  3. Lei da oferta e da procura que comanda o mercado. Com a oferta em alta hoje, vide placas de Vende-se abarrotando os imóveis das cidades, a tendência é de forte queda dos preços dos imóveis. Ademais, desemprego em alta, baixa liquidez dos imóveis contribuem também para a bancarrota do setor imobiliário.

    ResponderExcluir
  4. E os Corvos safados seguem sem fubá.
    Se depender de mim, esses malandros não ganham nem um átomo de centavos.
    Quem já não foi enganado por eles?
    Quem já não passou raiva com eles.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Num distrato perdi 30000k teno raiva dessa raça que não vale o coco que o gato enterra.

      Excluir
  5. quase que metade das vendas foram canceladas…..culpa só da crise?
    na realidade grande parte dos “últimos compradores” já sabiam que os preços estavam muito alto, fora da realidade e dos riscos, pagando até 20 % por cento do que um imóvel pronto na mesma região, mas a “ganância” de querer ganhar dinheiro fácil falou mais alto…..
    agora, vem sempre com os mesmos argumentos: ” muita gente ganhou dinheiro no passado”
    mas esquecem que todo esquema de pirâmide para dar certo, no início, tem que fazer com um grupo de pessoas ter bons lucros atrair um maior número de pessoas….

    ResponderExcluir
  6. Olha só, o que aconteceu que imóvel é o melhor investimento, e que valoriza 30% a.a.

    ResponderExcluir
  7. NAO Compre imóveis CRISE GERAL no setor imobiliário, e os preços vão desvalorizar muito muitas,unidades para vender em todo País,sem interesse, BOLHA IMOBILIÁRIA está ai é fato , corretores de imóveis nao iludam as pessoas ,Pessoal NAO COMPRE IMÓVEIS, CRISE GERAL ,ESTÁ SÓ COMEÇANDO, DESEMPREGO ,FALTA DE DINHEIRO ..

    ResponderExcluir
  8. Não há dúvidas de que isto é um sinal negativo pro mercado imobiliário, mas existem corvos espalhando boatos de quem haverá valorização infinita de 30% a.a.

    ResponderExcluir
  9. sábado, um amigo que tem mãe corretora, em Piçarras-SC me conta:
    “Eu fui com minha mãe ver um terreno de uma cliente e chegando lá no loteamento TODAS as ruas laterais estavam invadidas!! construíram na ponta da rua… invasão em todas. Já tinha gente fazendo casa no terreno da cliente , ainda bem que não era nosso”…

    ResponderExcluir
  10. quem vê pensa que o mercado imobiliario ta falido, jamais isso vai acontece. O que se passa, é um má fase, e como em outros setores tambem foi afetada, e com toda minha experiencia, em agosto as vendas ja terão melhorias siguinificativa. acho sim que se nao compra agora, vai perde uma otima oportunidade de fazer uma boa compra com um valor abaixo e com desconto, espere e me darao razao quando passa um ano e os preço subi.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Conta outra. Que país você vive. Imóveis com preços superiores aos Estados Unidos. Vivemos num país de decadência, 12 milhões de desempregados. crise financeira, violência explodindo, crédito minguando, distratos gigantescos. Pare de vender ilusão para as pessoas. Toda ganância será castigada!!!!!!!!!!

      Excluir
    2. Olha ele ai de novo!

      Excluir
    3. 16 de janeiro de 2017 10:40. Eu sei que tamo vivendo um momento de recessão, mas ela ja ta no fim, esse ano a economia ja vai cresce, ano que vem melho ainda. o seto imobiliario sera o primeiro a sai da crise e dara a volta por cima. nao vendo ilusao a ninguem, sou ralista, e todos sabe que esse ano teremos varios investimento de estrangeiro no pais, em 2018 a taxa de emprego vai cai muito, e a aconomia voltara agira mais rapido, as pessoas que queria comprar seu imovel, vai ter mais credito e confianca, diante do melho cenario, e as vendas crescera, é questao de 1 ano ou um pouco mais.

      Excluir
    4. Olha ele ai de novo! Vai melhorar na mesma velocidade que o seu português tá melhorando.

      Excluir
    5. Xoooooo corvo, vocês não enganam mais ninguém.

      Talvez lá na Na Na Chom kkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
    6. Vá se atualizar, estude mais porque não foi suficiente.

      Excluir
  11. Só onde trabalho, TRÊS pessoas devolveram seus bolhudos em fase de construção na planta por receio do que virá pela frente. Isso nos últimos 12 meses. Não duvido que esses “dados oficiais” de devolução sejam maquiados.
    Dessas 3 pessoas, uma eu posso dizer que consegui converter. Pagaria mais da metade do que ganha na parcelinha que cabe no bolso. Sem contar condomínio

    ResponderExcluir
  12. Eita... Imagina os CORVOS ESFOMEADOS, se suicidando geral... sinto até peninha... mentira kkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  13. tenho certeza que essa perca de pode aquisitivo, desemprego e contrucao civil em fidiculdade se tem culpa numa unia coisa, CULPA DO GOLPE SOFRIDO, pela nossa diguina preseidenta Dilma, agora voces deve ta feliz do pais ta nessa situacao graca ao golpe que os bate panela fez. parabens, feraram o pais inteiro por caprixo de voces.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Xoooooooooooooo ptrlaha anafalbeto, que tal ler um livro

      Excluir
  14. Na Chom Na Chom, insistam lá, sempre valoriza 30% a.a.

    ResponderExcluir
  15. O cara acima q fala de valorização (anônimo 8:59) apenas está vindo no blog pra tentar causar discórdia ou irritação..porém não é burro nem analfabeto, apenas um corretor q concorda com tudo q falamos e pensamos, porém tenta ser do contra...cria fantasias na mente dele pra acalmar a si mesmo, pois está em desespero com tanta má notícia do setor...
    Infelizmente parceiro..aceita q dói menos...procura outra área pra explorar...tenta a política, porque só no interior de SP, onde moro, tem corretor de Kg tentando vaga até no comércio da cidade.. tem concorrente pra ti de kg nesse Brasil..2017 vai ser briga de foice entre os corretores pra vender uma kitnet...
    Acabou a farra....todos sabem
    O tombo maior ainda está por vir!!! Aguardem pois estarei nesse blog pra comentar os casos!!
    Abraços e ótima segunda-feira!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu sou o anomimo 8:59. nao falei nenhuma mentira, dentro de 1 ano no maximo 1 ano e meio, as vendas de casa e apartamento voltara a cresce, só cego nao vê. hoje saiu uma reportagem no g1, sobre o aumento do pib esse ano e melho ainda para 2018, sendo que muitos investidor ta vindo pro brasil esse ano, gerando emprego e girando o comercio, dai as pessoa que queria comprar seu imovel ja vai ta mais confiante e com dinheiro para fazer o melho investimento, que é o sonho da casa propria.

      OBS. nao vim causa discordia, vim apenas da minha opiniao de um seto que tenho anos de experiencia e que vai cresce muito em 2018.

      Excluir
    2. Além de não saber escrever é mal informado. A nota do Brasil foi rebaixada e o crescimento do pib foi pior do que as projeções. Você é daqueles que lê reportagem comprada como aquela de que os bancos já estão reduzindo o juros por causa da redução da SELIC. Redução de 400% de taxa pra 399% de taxa e acha que é algo bom.

      Excluir
    3. Claro o cara está desesperado, VAMOS DAR UM DESCONTO, POIS NINGUÉM MAIS ACREDITA NELE.

      Excluir
    4. anomimo 8:59 Vc realmente desconhece a realidade do setor nesse momento, e pior, não sabe absolutamente nada como anda a nossa economia e como as coisas funcionam nesse mundo.
      Posso afirmar pra vc, que Brasileiro não tem poder de compra, o máximo que tinha era capacidade de endividamento, coisa que não tem mais. Alias, com a liberação do FGTS para as pessoas poderem pagar suas contas e limpar seus nomes, não vai sobrar muito para financiamento.
      O tempo que se viveu ficou para trás, não tem volta, ponto.
      O mercado imobiliário é o último a dar sinais de retomada quando o Brasil conseguir voltar a crescer, mas isso não significa que as vendas iram aumentar, pois o credito farto e fácil acabou, o FGTS está minguando, e o valor de compra do salário do trabalhador diminuiu onde com isso fica mais difícil a prestação caber no bolso.
      Conclusão, as vendas poderão retornar, mas será imensamente menor do que foi no passado, e o comprador, vacinado, vai querer preço, aliás muitos já utilizam a internet para pesquisar preços e fazer contra propostas, em imóvel se pechincha e pede desconto tbm.

      Excluir
  16. Tem corvo desesperado se agarrando em qualquer notícia.
    Não adianta…..
    Só a produção de riquezas é que pode permitir a compra e PAGAMENTO de um imóvel.
    Assinar um papel é moleza. Quero VER é PAGAR INTEGRALMENTE.

    ResponderExcluir
  17. Excelente artigo do Prof. Dr. João da Rocha Lima Jr.

    http://www.realestate.br/dash/uploads/sistema/Lares/lares2014_rochalima_cronicabolha.pdf

    Neste trabalho, sobre a previsão para o futuro, ele se “esqueceu” de considerar a demografia, como a queda na taxa de fecundidade e o movimento de migração de pessoas e empresas das capitais para o interior.

    MOVIMENTOS DE PREÇOS DE IMÓVEIS RESIDENCIAIS NO BRASIL:
    CRÔNICA DA BOLHA ANUNCIADA E OS PREÇOS ADIANTE
    Prof. Dr. João da Rocha Lima Jr. artigo para o Congresso LARES 2014 abril de 2014

    Em conjunturas pressionadas o mercado se desestabiliza. Preços de oferta para cima (fora do preço justo) são induzidos pela presença de demanda especulativa, ou geração artificial de capacidade de compra, justamente os dois fatores preponderantes na recente bolha identificada no mercado norte-americano, como no português ou no espanhol.

    As bolhas verificadas recentemente nestes mercados indicam que foram induzidas pela geração artificial de capacidade de compra, por meio de crédito imobiliário irresponsável. Seguiu-se a ação dispersa de capitais de especulação, que leva os preços para fora do preço justo.

    Na questão da especulação, deve-se notar que são pequenos e médios capitais que especulam, tendo em vista que crédito imobiliário irresponsável entrega poder de compra alto para pouco capital (proporção elevada de financiamento) de modo espalhado no mercado. Essa dispersão é insufladora de especulação e é ela, combinada com a capacidade financeira modesta dos especuladores, que constroem o binômio motivador da queda acelerada. Nas economias citadas, na fase aguda de construção da bolha se fez poder de compra 100 com de 2 a 5 de capital (financiamento de até 98% do preço).

    De outro lado, vendas na planta, nas quais a questão do crédito é para ser resolvida na entrega do imóvel, dois a três anos adiante, podem emular especulação, cabendo aos empreendedores cuidar de fazer vendas eficazes (finais) e não volume para cumprir metas anunciadas ao mercado de capitais, para fazer resultados artificiais de balanço, a vista do critério poc de apuração de lucros (percentage of completion). Por exemplo, no segundo semestre de 2010 e no primeiro de 2011 restou flagrante a identificação da presença de capitais de especulação no mercado residencial de São Paulo, sem que as empresas tenham exercitado poder moderador de buscar vendas para o mercado final e não para investidores (especuladores). Também restou flagrante que, no ciclo seguinte, os distratos de vendas vêm se constituindo em um dos problemas gerenciais das grandes incorporadoras.

    ResponderExcluir
  18. Quem poupou real por real sabe o valor que tem.

    Quem não poupa… não sabe o valor do dinheiro e muito menos da lógica financeira.

    Dívida é patrimônio. Novilíngua bananense.

    Quando baixar 50% dos valores atuais, ai sim, será um preço justo.

    ResponderExcluir
  19. Em um imóvel de R$ 500 mil, por exemplo, a empresa poderia ficar com R$ 50 mil no caso de distrato. Mas, se o valor já pago for de apenas R$ 30 mil, a construtora poderá reter 90%, ou R$ 27 mil.
    Será que ainda haverá alguém que comprará na planta , mediante esse prejuízo? Sempre haverá aqueles menos atualizados que acreditarão na conversa dos mais espertos.

    ResponderExcluir
  20. Lembrando as frases de 2014:
    “Quem tem dinheiro para comprar á vista…. não compra”
    “Quem não tem dinheiro…. compra usando crédito”

    Esse é o problema. Esses 10 a 15% que compraram alavancados….. permitiram uma subida abrupta dos preços no período de euforia. (existem outras questões macroeconômicas tb). A farra do crédito fácil…. nunca termina bem.

    ResponderExcluir
  21. O cidadão deve ser responsável pelos seus atos. Se não consegue entender um plano de financiamento de imóvel, deve procurar aprender sozinho ou com a ajuda de um amigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ou jogar fora o dinheiro que ganhou com dificuldade. Acreditando em conversa dos mais espertos que só querem faturar.

      Excluir
  22. Construtoras doam milhões para campanha de políticos. Logo qualquer mudança na lei, será maléfica à população.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvida, porém não é necessário comprar nada na planta. Só compra quem está desatualizado.

      Excluir
  23. Que bizarrice.
    Essa tal de venda na PrAnta.
    Mas tem gente que acha que fez um negocião da China kkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  24. Acho certíssimo. Se uma pessoa compra um bem de alto valor, se propõem a pagar pelos três anos da construção mais 35 anos de financiamento, ela tem que fazer um mínimo de conta para saber se conseguirá pagar. Os custos da construtora são muito mais altos do que simplesmente devolver 10% do valor que foi pago, a construtora conta com o valor a ser pago para dar prosseguimento a obra. Do jeito que está uma simples variação de 5% para baixo no valor do imóvel faz ser vantagem distratar, pois o comprador paga muito pouco do valor durante a construção. Óbvio que o erro está em vender na planta com parcelas muito baixas, mas se o imóvel valoriza o comprador não divide o ganho com a construtora e se desvaloriza ele distrata, paga uma merreca e passa o pepino pra construtora.

    É questão de responsabilidade, para você comprar um bem de alto valor em um prazo longo, tem que pensar muito antes. Hoje as pessoas compram apartamento como se comprassem batata na feira e merecem sim ser motumbadas com gosto. Se eu fizer uma LCI de três anos e quiser tirar o dinheiro depois de um ano perco todo o rendimento, não vai ter ninguém pra falar, coitado do Zé, não podia imaginar que ia perder o emprego e ia precisar do dinheiro, ou coitado do Zé, o governo zerou a Selic e ele tá tendo prejuízo. Acho certo essas novas regras e torço para que a responsabilidade seja passada para o verdadeiro culpado pelo distrato, quem comprou sem saber se podia pagar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo que quem comprou e não fez as contas ou quem comprou (investidor) pra vender depois tem que levar ferro mesmo.
      Mas, as construtoras não são coitadinhas. É só aqui na banânia que existe compra na planta. O certo é a construtora terminar a construção e colocar à venda como é feito em outros países.
      A irresponsabilidade, ganância e má administração das construtoras tem grande parcela de culpa nessa história.
      A saída do Brasil é investimento em educação!

      Excluir
  25. Governo se vendendo às construtoras… como sempre
    Construtora poderá ficar com 10% do valor do imóvel em caso de distrato
    http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,construtora-podera-ficar-com-10-do-valor-do-imovel-em-caso-de-distrato,10000100046

    ResponderExcluir
  26. Até cego enxerga essa Bolha imobiliária, mas existem CORVOS que ainda tentam de todas as formas ludibriar o comprador, ó que as pessoas estão deixando de ser trouxas, e não se deixam serem enganadas por essa máfia das Destrutoras com seus Corvos Esfomeados.

    Por mim, podem todas irem a falência, porque vender um bolhudo de 40m2 por 400000 mil Dilmantas, é dizer que a qualidade de vida do Rio de Nojeira é melhor do que a qualidade de vida da cidade de Viena, é comparar o Bananal com a belíssima Áustria.

    ResponderExcluir
  27. E 2018 tudo vai melhora, lulinha de volta a presidencia, a sra dilma ministra da fazenda, e voces que defendi o golpe vao te que nos aguienta ...

    Lula 2018 é noissssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lulinha filho do LILS não está milionário?

      Excluir
  28. Quem comprar agora imóvel vai ter já esse ano uma valorização de 30%

    Já em 2018 a valorização vai ser de 80% a.a.

    E em 2019 120% de valorização. O negócio é comprar vários agora e em 2 anos será Bilionário.

    Ass. O Corvo deprimido e solitário

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Será que eles (Corvos) irão comprar tudo e não deixar nada para os outros? Quem conhece o histórico das tulipas na Holanda que provocou um grande efeito manada?

      Excluir
  29. Eu fui enganado pelo um corvo, me vendou um pombal e me escondeu os impostos e várias coisas, quando fui ver não podia pagar.


    Fiz o distrato e perdi 30000k detesto corretores... hooo raça sombria.

    ResponderExcluir
  30. Cacildis, 45% do que foi vendido foi distratado em 2016.

    Mas a redução da selic vai aumentar as vendas, pode acreditar… /ironic

    ResponderExcluir
  31. Como o mundo dá voltas não é mesmo srs. corvos.

    Pouco tempo atrás, vocês se achavam a última bolacha do pacote, a última coca cola do deserto... e hoje não vale um palito queimado... bem a cara dessa raça que só visa o lucro, mesmo que para isso significa passar por cima de pessoas trabalhadoras de bem.

    ResponderExcluir
  32. A culpa de toda a crise no Brasil, tem nome.

    Trambiqueiro estelionatário, Luladrão, cacacheiro de 9 dedos.

    ResponderExcluir
  33. Assim, antes que eu me esqueça já que acabei de falar no bandido de 9 dedos e bebum...

    Como andas a o triplequisssssss que esse vagabundo tem

    ResponderExcluir
  34. Entendo que o primeiro impacto é uma corrida geral entre os que tem dúvida pelo distrato, a fim de evitar essa nova regra.
    A segunda é o inicio do fim do “na planta”, afinal a insegurança agora é muito maior (já que, contando as correções, o valor abatido será irrisório perto do que foi de fato pago). Ou seja, inicio do fim das pedaladas

    Ou não, ninguém procura saber de legislação de nada mesmo, muito menos se informar dos “e se” que podem acontecer.

    ResponderExcluir
  35. Acredito que mesmo os mais desinformados vão começar a desconfiar do golpe da planta. Está saindo todo dia notícia sobre os riscos desse tipo de negócio.

    A máquina de desinformação está mostrando sinais de desaceleração, aos poucos.

    A situação das grandes construtoras está ficando insustentável.

    E com relação à regulação do distrato, pelos julgados recentes dos tribunais, a tendência é a lei ficar benéfica ao motumbado e não à construtora. O Direito brasileiro também entende que o consumidor é sempre parte vulnerável. Não concordo com isso, mas é assim que funciona.

    Ou seja, uma possível regulação não ajudaria muito a situação das construtoras.
    Elas estão se apoiando nessa hipótese como uma vítima de naufrágio se apoia num precário pedaço do navio. Não há coletes, não há botes salva vida, somente o fragmento que pode afundar a qualquer momento.

    Que morram afogadas. Ouvi dizer que tijolo afunda.

    ResponderExcluir
  36. A vingança é um prato que se come frio... nesse caso com champagne...

    Porque rir da cara dos Corvos Esfomeados não tem preço...

    Deixe sua risada para os corvinhos que recebe cesta básica para não morrer de fome kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  37. Pessoal nao caia nessas mentiras de corretores de imóveis, imóveis vão se desvalorizar muito mais ainda CRISE GERAL ,Desemprego, deixe as pessoas em paz , Parem corretores anônimos de querer defender as coisas que nao são desta forma nada de valorizar,Pessoal olhem apenas os comentários de acordo com a realidade do blog observador de mercado

    ResponderExcluir
  38. se baixar 50% eu penso em comprar um pombal caindo aos pedaços

    ResponderExcluir
  39. Só isso de devolução, aposto que é o triplo disso que foi divulgado... esse setor não vai se recuperar nem em 30 aos... quem sabe o ano 3000... nunca se sabe


    Adios Corvos Passa Fome.

    ResponderExcluir
  40. Até final do ano deve cair bastante e os distratos devem quadriplicar
    Deixa sangrar, quero mais é que falte fubazinho para os corvos

    ResponderExcluir
  41. kkkkkkkk
    imovel = buraco

    ResponderExcluir
  42. Sou um profissional top, tenho um excelente salário mas não consigo passar nem na porta de uma imobiliária. É tanta porcaria por 400.000 500.000...
    Um corvo teve a audácia de me ligar oferecendo uma casa velha na cidade de Bambuí por 800.000. Quase infartei velho. Falei pra ele que estava olhando na cidadela de interior e não em Nova York. Paisinho falido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo...esse pais ta um lixao so...No REU de sujeira ta pior....kkkkk

      Excluir