Total de acessos

Teste

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Valor: Locação de escritórios de alto padrão tem pior ano da história

"Este foi o pior ano da história do mercado [paulistano] em absorção líquida de áreas e valor de locação. Esperávamos o mesmo nível de 2015, mas a situação piorou", diz a presidente da Cushman & Wakefield para a América do Sul, Celina Antunes. [...] "Voltamos dez anos em preço nominal de locação. Se descontada a inflação, a queda é ainda maior", diz o presidente da Colliers International Brasil, Ricardo Betancourt

Os dois maiores mercados de escritórios de alto padrão do país fecham o ano com o pior desempenho de suas histórias. Tanto na cidade de São Paulo como na do Rio de Janeiro, a combinação de volume elevado de entregas de novos prédios com o reflexo da retração da economia na devolução de áreas ocupadas resultou em queda de preços em 2016.

"Este foi o pior ano da história do mercado [paulistano] em absorção líquida de áreas e valor de locação. Esperávamos o mesmo nível de 2015, mas a situação piorou", diz a presidente da Cushman & Wakefield para a América do Sul, Celina Antunes. Um dos fatores que mais afetaram, negativamente, o total das áreas ocupadas foi a redução do nível de emprego. Na avaliação de Celina, se a recessão for interrompida, a inflação equacionada e o país crescer 0,5% em 2017, melhora a perspectiva para o mercado imobiliário.

"Voltamos dez anos em preço nominal de locação. Se descontada a inflação, a queda é ainda maior", diz o presidente da Colliers International Brasil, Ricardo Betancourt. O preço médio pedido por metro quadrado em São Paulo está em R$ 97, ante R$ 102 no fim do ano passado. Para 2017, a expectativa do executivo é que a atual faixa de valores de locação de escritórios dos padrões A e A+ seja mantida e que o novo estoque corresponda à metade do entregue em 2015.

Segundo a Colliers, a vacância foi a maior dos últimos dez anos, atingindo 26%. A absorção líquida só não foi pior do que a de 2009.

Neste ano, segundo o presidente da consultoria JLL no Brasil, Fábio Maceira, em São Paulo houve absorção líquida negativa de 23,9 mil metros quadrados, ou seja, mais áreas foram devolvidas do que novos espaços locados. A absorção líquida negativa se concentrou no primeiro trimestre, mas foi tão acentuada a ponto de não ser compensada pelo número positivo do restante do ano.

Recuperação é considerada mais difícil
Dados da JLL apontam que, em 2002, houve absorção líquida negativa de 20,8 mil metros quadrados. O número absoluto é menor do que o deste ano, mas representa fatia mais expressiva, à medida que o mercado era menor naquele momento. Ainda em 2002, a demanda por escritórios foi afetada pelo cenário pós­atentados de 11 de setembro, nos Estados Unidos, pela crise energética e pelos temores de parte do empresariado em relação ao então candidato à presidência da República Luiz Inácio Lula da Silva. O mercado atual de escritórios reflete dois anos de recessão da economia, e a recuperação é considerada mais difícil.

De acordo com a JLL, em 2016, foram entregues, na cidade de São Paulo, 300 mil metros quadrados de escritórios de alto padrão, mesma quantidade projetada para 2017. A vacância estimada pela JLL para o encerramento deste ano é de 27%, ante 23,6% no fim de 2015. 

Em 2016, assim como nos últimos anos, boa parte das novas ocupações de escritórios resultou do movimento conhecido, no setor, como "fly to quality". Na prática, inquilinos têm aproveitado a redução de preços de locação para migrar de edifícios de menor qualidade para prédios mais modernos, eficientes e melhor localizados. No entendimento do presidente da Colliers, a maioria dos movimentos de "fly to quality" já ocorreu. "Agora, estamos vendo movimentações menores."

Segundo Betancourt, com o encolhimento das empresas ocupantes, o tamanho médio das áreas procuradas passou de 2.200 metros quadrados, no começo de 2015, para 1.200 metros quadrados neste fim de ano. Há mudanças também na maneira de as empresas ocuparem escritórios. "Ninguém mais tem sala fechada. As pessoas estão compartilhando espaços", afirma o presidente da JLL.

Celina, da Cushman, ressalta que, desde 2014, os proprietários reinventaram sua maneira de atuar, oferecendo, por  exemplo, acabamento dos escritórios e um ano de carência para início do pagamento do aluguel. 

Segundo a executiva da Cushman, embora o mercado comece a melhorar no próximo ano, um novo ciclo de alta deve ter início apenas em 2020. Já Betancourt, da Colliers, avalia que o começo do novo ciclo pode ocorrer, em São Paulo, em 2018, "desde que não haja mais surpresas na economia". A expectativa inicial do executivo da Colliers era de retomada no segundo semestre de 2017, mas a percepção diante dos indicadores econômicos é que isso tende a vir no ano seguinte.

(Valor Online - Empresas - 28/12/2016)

VEJA VÍDEOS SOBRE O ASSUNTO AQUI NO BLOG OU PELO LINK

56 comentários:

  1. Luxo!!! Luxo hoje é ter o que comer, Corvos se suicidando em geral

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem corvo vendendo a mãe pra comer miojo

      Excluir
    2. Os corvos, estão vendendo balinhas no semáfaro e mesmo assim tão passando fome. olha minha carinha de pena kkkkkkkk

      Excluir
    3. Vão ter que construir presídios pra prender tantos corvos que viraram bandido. Muitos vão roubas pra ter o que comer e consequentemente serão presos, eu faço é rir kkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
  2. Os preços estavam surreais considerando uma economia em forte expansão que não se confirmou e pelo contrário entrou em crise. É a lei do mercado e os preços realmente tem que se ajustar pois nenhum negócios sobrevive com custos tão altos.

    ResponderExcluir
  3. Acabou a farra do dinheiro fácil para os especuladores do setor imobiliário, tanto comercial quanto residencial, tomara que caia muito mais.

    ResponderExcluir
  4. Invistam na Na Chom Na Chom, lá sim tem 30% a.a. os corvos piram

    ResponderExcluir
  5. Com licença, Senhores proprietários (essa vai para os cariokassss): A cidade que vocês tem os seus imóveis está totalmente FAVELIZADA e a VIOLÊNCIA NOS ASSOMBRA CADA DIA MAIS!!! Aquela cidade dos preços astronômicos acabou faz tempo!!! A ficha não caiu ainda não? Seus imóveis estão no meio de uma grande favela! Todos vivemos em uma grande favela!!! Minto?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso não pode ser chamado de cidade, Rio de Nojeira é o inferno na terra e seus favelados são demonios

      Excluir
    2. Essa favela vertical deveria ser explodida, hooo lugar feio e fedido e as pessoas burras, malandras e horrorosas, que desaparecem com esse rio de nojeira.

      Excluir
  6. Essa vai para os CORRETORES DE IMÓVEIS: Vocês estão colhendo os frutos da avareza e prepotência arrogante.
    Vocês são culpados pela crisefinanceira, pois na mente doentia suas fizeram avaliações fora da realidade, vcs não pensaram no cliente, nunca. Pensaram no hoje, agora.
    Me lembro dos carrões que os corvos ostentavam com as vendas de centenas de unidades para os laranjas.
    A CEF não queria nem saber quem iria pagar a conta! Ia logo liberando o dinheiro.
    A CEF não tinha critérios para liberar crédito, desde que o dinheiro fosse liberado para as construtoras, por intermédio dos laranjas.
    Por isso que quando vc ia olhar um apertamento de 40 metros quadrados, os vagabundos dos corvos diziam: -já está tudo vendido! Mas se vc quiser tem apenas um por R$250.000!!!
    Assim que se iniciou o disparo dos preços dos imóveis.
    SE TIVER ALGUM PROMOTOR DE JUSTICA LENDO ESSE COMENTÁRIO PEÇA PARA ABRIR A CAIXA PRETA DA CEF.
    E agora? Quem vai pagar a conta da falência da CEF quando todos os brasileiros resolverem parar de pagar? ? ? Irão ver que foram enganados pagando 10.000 por 1 metro quadrado! Na cidade fedorenta hell de janeiro. 5.000 em Belo Horizonte e 4.000 na cidade favela de Contagem.
    Já está provado que o metro quadrado não sai mais do 400,00 .
    Obviamente, estou falando desses pombais construidos com os piores materiais que existe.
    Mas o metro quadrado top não pode ser mais que 2.000.
    É um roubo. Queremos justiça. Que essa conta seja cobrada dos corvos, das construtoras e dos gerentes da Caixa que sabiam dos riscos e não tomaram nenhuma providência.
    A Caixa vai falir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu sou corretor e vivo muito bem. ganhei muito dinheiro, pra mim voces nao pasam de um bando de invejoso. eu contrui fortuna com minha profisão ao contrario de voces que nao tem facudade, deve ter so o ensino fudamental. bom agora vou compra um presente pra mim, mereso o melho. fique ai criticando e disendo que pasamos fome. agora to indo no restaurante cinco estrela. tchau seus invejoso

      Excluir
    2. É corretor, pelo seu português você deve ter feito faculdade mesmo...

      Excluir
    3. Não sei como você ganhou dinheiro sem saber escrever.
      Com certeza faculdade você não tem, e sim muita lábia para enrolar os coitados que sonhavam com a casa própria.
      A mamata acabou, o povo acordou e não tem coragem de entrar num financiamento sem saber o fim do filme desta crise.
      Aprenda a escrever e fazer conta, porque se não você vai perder tudo que ganhou...

      Excluir
  7. Isso é culpa dos Ptralhas. Aquele cachaceiro de 9 dedos deveria pegar pena de morte. Agora o país vai ficar mais 500 anos para se reerguer. Parabéns eleitores intelectuais do Pt

    ResponderExcluir
  8. Imóvel já não é investimento. Uma hora tinha que deixar de ser, afinal já bateu no teto faz tempo, agora é só descida.

    ResponderExcluir
  9. bom pra quem quer comprar, ruim pra quem quer vender

    ResponderExcluir
  10. Subiram tanto o aluguel na época das vacas gordas, que agora ficou insustentável manter nos msm patamares! Corvos se suicidando geral

    ResponderExcluir
  11. Também, essa bolha de gás em preços estratosférico não ia durar muito tempo né?

    ResponderExcluir
  12. A bolha ainda vai estourar muito mais, não comprem!! já os CORVOS vão morrer de fome sem farinha pra comer.

    ResponderExcluir
  13. ATE Q ENFIM QUEM MANDA E O LOCATARIO !!! Coravaida tudo desesperada

    ResponderExcluir
  14. pare de serem invejoso. eu sou corretor a ganhei muito dinheiro com meu trabalho, fiz facudade e voces o que fizeram. aposto que nao tem nem o ensino fudamental... parem de ranco. se nao tiveram estudo e suceso que nem eu to nem ai.. pra mim o que importa é minhas viagen, jantar em bom resturante. por isso nao ligo quando fala que como minau. pq eu como em resturante cino estrela. voces que deve come macarram istataneo. agora vou nessa passiar no meu poçante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corvo, vai aprender escrever, cuidado em gastar todo o seu dinheiro com carros e restaurantes caros, ja que você ganhou muito dinheiro, faça este dinheiro trabalhar pra você. Uma dica, leia livro PAI RICO, PAI POBRE, porque se não perderá tudo o que você ganhou e com certeza não ganhará maus.

      Excluir
  15. Se tomarmos o valor médio de 2000-2007 mais inflação, deve da para cair ainda pelo menos 50%. O mercado está parado, sem liquidez, e isso é a prévia para a baixa. Ou seja, por esse preço ninguém compra. A festa acabou

    ResponderExcluir
  16. Será que em 2040 o preço dos imóveis voltaram a valorizar. Segundo o ocultista, o vidente Pai Corvinnnnn do além, a partir de fevereiro desse ano ocorrerá uma valorização de 40% a.a. é pra glorificar de pé Pai Corvinnnnnnnn e sua bola de cristal

    ResponderExcluir
  17. Na minha cidade o valor para compra caiu no máximo 5% em pouquíssimos imóveis. Cheio de imóveis a venda, mas só os de programa Minha Casa Minha Vida tiveram uma redução maior.

    ResponderExcluir
  18. Corvoada passando fome kkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  19. Corvos sofram bastante. Agora quem manda é o comprador, se é que tem alguém com grana pra comprar algum pombal... Assim tem sim, a máfia dos Ptralhas que afundaram o país no caos

    ResponderExcluir
  20. Imóveis: a grande furada!!!

    ResponderExcluir
  21. País de 5º mundo, onde um analfabeto cachaceiro chegou a presidência, só poderia estarmos na pior

    ResponderExcluir
  22. foi a melhor coisa que aconteceu, tem que cair mais, o preço na verdade é um assalto na maioria das cidades

    ResponderExcluir
  23. O ÍNDICE FIPEZAP É UMA PIADA INVENTADA PARA QUE OS PREÇOS DOS IMÓVEIS NÃO DEMONSTRE A QUEDA REAL. CORVOS JÁ ESTÃO MENDIGANDO COMIDA NAS RUAS.

    ResponderExcluir
  24. Na rua, vida real, os Imóveis caíram mais de 30%

    ResponderExcluir
  25. Mercado imobiliário está entrando na metade de sua recessão, que tem mais quatro anos pela frente. Lava jato, Odebrecht só provam isso.

    ResponderExcluir
  26. Ué imóvel não era um super investimento. CORVOS Velharada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que eles ficaram ricos, pois valorizando como falam, devem ter comprado vários....

      Excluir
  27. A construtora gasta R$ 80.000,00 por apartamento e vende por R$ 450.000,00.

    ResponderExcluir
  28. Mesmo caindo os preços, ainda é muito caro comprar imóveis. Algo surreal em relação à renda das famílias.

    ResponderExcluir
  29. Será que vai baixar mais? Porque segundo os CORVOS ESFOMEADOS, já em fevereiro vai ter valorização de 30% a.a

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vão comprar tudo, pois um investimento de 30% ao ano é muito bom. Se eles comprarem um imovel por 500K, eles ganharão 150K após 12 meses. Ou será que eles mesmo não acreditam no que falam.

      Excluir
  30. Imóvel sempre foi o melhor investimento e o mais seguro...

    ResponderExcluir
  31. Lulinha voltara em 2108 e sauvara nosso pais dessa lama que o temer ta deichando

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se voltar imagine o que acontecerá.

      Excluir
  32. O Governo é o maior interessado em elevar o preço dos imóveis para faturar com os impostos! Milhares de imóveis encontram-se em situação irregular justamente por conta desses elevados impostos e ainda tem gente querendo aumentá-los!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O povo além de pagar impostos, precisa pagar educação, plano de saúde, segurança, etc.

      Excluir
  33. Na CEF, os preços dos imóveis ofertados ainda estão todos bolhudos… A CEF não quer dar o braço a torcer…

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deixe a CEF acumular milhares de imóveis, quem sabe um dia irá cair na realidade

      Excluir
  34. Os Corvos e as imobiliárias tão amargando toda a ganância promovida por anos de irresponsabilidade, através de sues amigos PTRALHAS LULADRÃO

    ResponderExcluir
  35. Meu pai levou 3 anos pra juntar dinheiro e quitar a residência que hoje ele mora faz 10 anos.
    Hoje seriam necessários 12-15 anos juntando dinheiro pra comprar a mesma coisa pelos preços estratosféricos atuais.

    ResponderExcluir
  36. Como nesse país as pessoas, grupos ou setores possuem grande dificuldade de falar a verdade. A realidade é que aconteceram grandes distorções na economia. O crédito direcionado e subsídios diretos alteraram bizarramente a forma de fazer negócios no setor imobiliário. Mas quando a fórmula exauriu-se os mesmos atores não admitem que o principal empecilho é simplesmente o preço e a grande oferta. Podem espernear, chorar, o escambau…. só a queda abrupta dos preços traria dinamismo o setor. Ah esqueci existem as garantias bancárias (hipotecárias) em jogo tb. Sinuca de bico MODE ON

    ResponderExcluir
  37. Essas construtoras e a cúpula maldita do PT, jogou o Brasil num abismo sem fim. Esses corruptos deveriam pegar prisão perpétua.

    ResponderExcluir
  38. Sou Advogado, ganho em média 8.000 por mês, antes eu era motorista de ônibus. Trabalho há mais de 15 anos. Tenho dois filhos, moro em São Gonçalo do Pará. Mesmo nesse fim de mundo os preços estão fora da realidade. Quero saber como faço para adquirir um imóvel de 200.000 sem me endividar.
    Trabalho com os pés no chão.
    Fico triste vendo o governo dar casa para quem não dá valor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aplique o que tem e só pense em comprar quando os preços voltarem a valores reais (No mímimo 50% a menos).

      Excluir
  39. Invistam na na chom na chom lá sempre valoria.

    ResponderExcluir
  40. Invista em LCI ou Tesouro Direto. LCI vc consegue no mínimo 80% do CDI que já é maior que a poupança. Mas tem bancos que cobram valor mínimo para aplicação, geralmente 30.000, e carência de 90 dias para retirada. LCI não tem imposto de renda.
    Tesouro Direto vc pode investir a partir de 30,00. Mesmo com IR rende mais que poupança.
    Não compre na imóvel na planta. Vc não pagando a vista cria-se uma poupança pra eles. O saldo devedor é corrigido pelo INCC e a correção é bem próximo da poupança ao ano.
    Se vc explicar isso a um corretor eles não vão entender ou vão querer te manobrar. Eles não sabem de nada.
    Como o amigo falou: vai baixar, compre a vista. Enquanto isso junte dinheiro.

    ResponderExcluir